quarta-feira, 30 de março de 2016

LANÇAMENTO XEROCA!: Cinema Paraibano e Gênero




Clique aqui para download.
"Cinema Paraibano e Gênero" é o primeiro volume da coleção "Cinema Paraibano e suas interfaces", que contará com mais três livros, e é organizada por Virgínia de Oliveira Silva e Janaine Aires. A coleção é uma iniciativa do Projeto Cinestésico, que há oito anos busca produzir, debater e difundir o audiovisual da Paraíba. Neste volume, 18 pesquisadores de várias regiões do Brasil analisam criticamente a produção cinematográfica da Paraíba voltada à temática de gênero.  Boa leitura! 

DOWNLOAD GRATUITO: Convergência divergente: tv aberta na contramão global


O livro "Convergência divergente: tv aberta na contramão global", de Suzy dos Santos, analisa a fase inicial do cenário de convergência no Brasil e debate, em especial, as características do mercado de mídia nacional que colaboram para um ambiente de atraso na adoção de novas tecnologias. Em 2005, a pesquisa agora publicada pela Xeroca! ganhou o Prêmio Intercom de melhor tese de doutorado brasileira e integra o portal www.coronelismoeletrônico.com.br, resultado do projeto "Clientelismo e patrimonialismo na comunicação brasileira: dinâmicas assimétricas de poder e negociação. Boa leitura!  

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

DOWNLOAD GRATUITO: "Mídia paraibana: origens e perspectivas"


Acesse: www.editoraxeroca.blogspot.com 

O livro "Mídia Paraibana: origens e perspectivas", organizado por Carlos Edmário Alves, Elane Gomes e Jocélio Oliveira, integra a "Série Assanha o Formigueiro" e é mais um resultado do movimento que investe no debate crítico e permanente sobre a produção midiática da Paraíba como a principal fórmula para transformá-la.
A obra é composta pelos artigos e relatos de experiência apresentados no I Simpósio de Pesquisa sobre a Mídia Paraibana que foi realizado em maio de 2015, na UFPB, pelo Observatório da Mídia Paraibana. A Editora Xeroca! colabora para ampliar o espaço de reflexão realizado naquela ocasião, reunindo os estudos desenvolvidos por pesquisadores e profissionais dedicados a variados aspectos da produção midiática local. 

Faça o download e Boa Leitura!

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Editora Xeroca lança livros na abertura da VIII Semana Democom

Atividade começa às 19h desta terça-feira (13), na Praça da Alegria, UFPB

   


A Editora Xeroca, uma iniciativa do Coletivo Comjunto, lançará nesta terça-feira (13), na Praça da Alegria, durante a abertura da VIII Semana pela Democratização da Comunicação na Paraíba, dois novos títulos. "Mandacaru: uma experiência de comunicação comunitária", de Dérika Virgulino, será lançado em versão e-book. 

Na mesma noite, será lançado também, em formato impresso, o livro de poemas Amores Curtos, de Marcos Freitas. O livro de Dérika integra a série "Assanha o Formigueiro". Já o de Marcos faz parte da coleção "Rapidinha". Ambos os autores estarão presentes no evento. 

 Os lançamentos acontecerão logo após a abertura da exposição "Coronelismo Eletrônico: as concessões de radiodifusão na história política do Brasil", que ficará em cartaz na Praça da Alegria até o final da Semana Democom, no dia 17/10. Serviço Lançamentos da Editoria Xeroca Local: Praça da Alegria, CCHLA, UFPB Hora:19h Para acompanhar a programação completa, clique aqui.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

João Pessoa sedia VIII Semana pela Democratização da Comunicação na Paraíba

Atividade é realizada pelo Coletivo Comjunto e o Observatório da Mídia Paraibana, com patrocínio do FIC - Fundo de Incentivo à Cultura Augusto dos Anjos

De 13 a 17 de outubro, acontece em João Pessoa mais uma Semana pela Democratização da Comunicação na Paraíba. Esta VIII edição traz como tema "O princípio básico é a comunicação" e contará com diversas atividades, entre oficinas, minicursos, debates, seminários, mesas-redondas, lançamento de livros, exposição, shows e outras apresentações artísticas. A atividade é uma realização do Coletivo Comjunto e do Observatório da Mídia Paraibana, com patrocínio do FIC - Fundo de Incentivo à Cultura Augusto do Anjos.

A Semana pela Democratização da Comunicação (Democom) é uma atividade realizada nacionalmente desde 2003, pela Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (Enecos), como forma de mobilizar e divulgar a bandeira de luta pelo direito humano à comunicação. Tem como objetivo agregar os estudantes, profissionais e a sociedade civil às reflexões e problematizações em torno do campo da comunicação.

Na Paraíba, foi realizada pela primeira vez em 2006, por membros da Enecos que atuavam no Estado. A partir de 2008, a Semana Democom passou a ser realizada pelo Comjunto – Coletivo de Comunicadores Sociais, que promoveu a III, IV, V, VI e VII edições.

“Em 2015, nosso objetivo é ampliar a interlocução com os produtores culturais do Estado. O debate que se pretende agendar compreende que a Comunicação é um processo de diálogo, no qual é necessário se garantir a expressão das diversas vozes”, afirma Janaine Aires, do coletivo Comjunto e uma das coordenadoras da Semana Democom na Paraíba.

O tema de 2015 é inspirado em verso do cantor, compositor e multi-instrumentista Escurinho, que pôs em debate em seu álbum mais recente, "O princípio básico", a temática da Comunicação.

A programação completa e outras informações sobre a VIII Semana Democom podem ser conferidas no site www.semanademocom.com.br.

domingo, 16 de agosto de 2015

A Editora Xeroca! lança mais um livro "Mídia e discurso", Clara Câmara e Diego Amaral (Orgs.)

A Editora Xeroca! lança mais um livro "Mídia e discurso: teoria, consumo e produção de sentido na comunicação contemporânea", organizado por Clara Câmara e Diego Amaral, a obra apresenta subsídios para o debate sobre a contemporaneidade costurando temas diversos por um fio condutor determinante: a mídia. Faça o download gratuito e boa leitura!  


domingo, 31 de maio de 2015

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Programação Defesas do PPJ - NÃO PERCA!




Nesta semana tiveram início as defesas públicas das dissertações produzidas no Programa de Pós-graduação em Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba.  Muitos trabalhos versam sobre aspectos diversos da mídia paraibana. 

Confira a programação e não deixe de participar! 


O Processo de (Re) Produção das Notícias nos Sites Jornalísticos da Paraíba: Análise dos Releases enviados pela Ascom/UFCG
Gloriquele da Silva Mendes

DATA: 22.04.2015 às 14h30
Jose Zilmar Alves (externo)
Luiz Custodio da Silva (orientador)
Joana Belarmino

A Travessia do Analógico para o Digital: 
As Mudanças no Processo de Produção de Notícias na TV Paraíba
Luciellen Souza Lima

DATA: 24/04/2015 às 09h30
Sandra Moura (orientadora)
Valdecir Becker 
Lívia Cirne Pereira (externo)

O esporte amador em telejornais esportivos locais
Raul Augusto Ramalho de Melo

DATA: 24.04.2015 às 14h00
Cidoval Morais de Sousa (externo)
Luiz Custodio da Silva (orientador)
Virgínia Sá Barreto

As novas dinâmicas das rotinas produtivas nas revistas Trip e TPM e o uso das redes sociais na internet
Rackel Cardoso Santos Guimarães 

DATA: 25.04.2015 às 10h00
Livia Cirne de Azevedo Pereira (externo)
Fernando Firmino
Thiago Soares (orientador)

Corporalidade dos Apresentadores Como Sujeito da Notícia na Sociedade “Dos Meios” e “Em Vias De Midiatização”: Cobertura dos Movimentos Sociais “Direta Já” e “Passe Livre” pelo Jornal Nacional
Amanda Falcão 

DATA: 27.04.2015 às 8h00
Fausto Neto (externo)
Fernando Firmino 
Virgínia Sá Barreto ( orientadora)

Convergência Jornalística e Cultura Profissional: A Experiência do Núcleo Integrado Esportivo da Rede Paraíba de Comunicação
Angélica Gomes de Oliveira Lucio Carneiro

DATA: 27/04/2015 às 9h00
Sandra Regina Moura (orientadora)
Pedro Benevides
Juciano de Sousa Lacerda (externo)

Midiatização, Convergência Tecnológica/Cultural e Jornalismo Colaborativo: A construção e Edição das Noticias no Telejornal Local
Roberta Matias 

DATA: 27.04.2015 às 10h30
Comissão examinadora: 
Fausto Neto (externo)
Fernando Firmino (interno)
Virgínia Sá Barreto (orientadora)

Cartografia do JÁ sob a ótica dos Gêneros Jornalísticos:Análise do diário paraibano e o debate sobre gêneros na atualidade
Amanda Carvalho Andrade

DATA 27/04/15 às 13h30
Joana Belarmino
Luiz Custódio 
Juciano de Sousa Lacerda (externo)

“You must bemy Lucky Star”: Crítica, agendamento e valor sobre a obra da cantora Madonna na Revista Rolling Stone
Maria Helena Guerra Monteiro 

DATA: 30/04/2015 às 09h00
Thiago Soares (orientador)
Virginia Sá Barreto 
Jeder Janoti (Externo)

Processos de produção em radiojornalismo: um estudo sobre a construção da notícia local nas rádios CBN Natal e CBN João Pessoa
Jeferson Luís Pires Rocha 

DATA: 30.04.2015 às 14h00
Luiz Custodio da Silva (orientador)
Pedro Nunes Filho
Adriano Lopes Gomes (externo)

Colaboro - Construção participativa do manual de 
redação e estilo da Agência de Comunicação (AGECOM) da 
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
Hellen Almeida

DATA: 27/03/2015 às 15h
Silvano Alves Bezerra da Silva (UFMA)
José David Campos Fernandes (orientador) 
Luiz Custódio da Silva (UFPB)

Midiativismo e Coberturas Jornalísticas:  Mídias Livres, Movimentos em Rede e Estratégias de Contrapoder
Thiago D’angelo Ribeiro Almeida

DATA: 30/04/2015 às 16h00
Claudio Paiva (orientador)
Fernando Firmino
Nadja de Moura Carvalho

Estratégias Especiais de Jornais: Um Estudo Sobre Estratégias de Acessibilidade de Pessoas Cegas ao Webjornalismo Paraibano
Valter Barbosa de Araújo

DATA: 30/04/2015 às 16h00
Joana Belarmino (orientadora)
Thiago Maritan (externo)
Carmen Virginia Sá Barreto

As “Novas” Mídias e as Rotinas Produtivas dos Cadernos de Economia do Jornal da Paraíba e Correio da Paraíba
Hallita Amorim Cezar Fernandes 

DATA: 30.04.2015 às 17h00
Hildeberto Barbosa (orientador)
Sandra Regina Moura
Marcos Nicolau (externo)

Hibridização da Notícia em ambientes multiplataformas: produção, circulação de conteúdos jornalísticos no Sistema Correio de Comunicação
Mastroianne Sá de Medeiros 

DATA: 13/05/2015 às 10h00
Pedro Nunes Filho (orientador)
Sebastião Filho (Externo)
Olga Maria Tavares

Convergência Jornalística: A Produção de Conteúdo no Núcleo Multiplataforma de Esportes da Rede Paraíba de Comunicação.
Mariah de Almeida Araujo

DATA: 13/05/2015 às 16h00
Pedro Nunes Filho (orientador)
Carmem Virginia Montenegro Sá Barreto 
Miriam Moema Filgueira Pinheiro (externo)


quarta-feira, 18 de março de 2015

Chamada de Trabalhos para o I Simpósio de Pesquisa sobre a Mídia Paraibana

É com muita alegria que anunciamos a realização do I Simpósio de Pesquisa sobre a Mídia Paraibana, com o tema "Origens e perspectivas". A atividade será realizada entre os dias 28 e 29 de maio de 2015, na Universidade Federal da Paraíba.

O Simpósio tem como propósito reunir estudantes, pesquisadores, profissionais e a sociedade em geral para refletir sobre a mídia produzida no estado. Serão realizadas palestras sobre a história e os desafios da pesquisa da comunicação da Paraíba e mesas temáticas, nas quais serão apresentados trabalhos científicos produzidos sobre o assunto. 

A submissão de artigos está aberta até o dia 30 de abril de 2015. Podem se inscrever trabalhos inéditos e mesmo aqueles já apresentados em outros eventos e publicações. Os artigos selecionados serão reunidos em um e-book, produzido pela Editora Xeroca!

Para saber mais sobre o processo de submissão, clique aqui. Aqueles que desejarem participar como ouvintes podem se inscrever gratuitamente, clicando aqui. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público interessado. 

O I Simpósio de Pesquisa sobre a Mídia Paraibana é uma atividade do Observatório da Mídia Paraibana e integra esforços de pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba. 

domingo, 14 de dezembro de 2014

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

"Verdade" e "Justiça" ao meio-dia: a construção da experiência moral em um programa de TV


A paisagem televisual brasileira é marcada por singularidades. Uma delas é a centralidade que programas populares focados na cobertura policial assumem no cotidiano da programação. De um lado, conquistando ótimos números na audiência e de outro intrigando críticos. Afinal, o que une produção e público?
Wanessa Souto Veloso apresenta uma importante pesquisa que busca responder a questão e nos ajuda a compreender uma relação fundamental para a sociedade brasileira: a mídia e o seu público. 
O debate sobre o tema é frequentemente atravessado pelo preconceito, que leva pesquisadores a escorregar no erro de que os laços estabelecidos em produção e audiência se caracterizam pela manipulação. Veloso ultrapassa essa dificuldade unindo método e um olhar sensível para acompanhar o público que se dirige diariamente aos estúdios de um programa popular paraibano.  
Em 2011, a autora recebeu o prêmio "Florestan Fernandes de Monografia"  pelo trabalho "Mídia e Moralidade", orientado pela Professora Dr. Simone Magalhães Britto, que também orienta a pesquisa publicada. Veloso é mestre em Sociologia pela UFPB. 
A obra foi prefaciada pelo jornalista e pesquisador Jocélio de Oliveira, especialista no tema, e produzida pela Editora Xeroca!, do Coletivo COMjunto de Comunicadores Sociais, em parceria com o Observatório da Mídia Paraibana.

Boa Leitura! 

Versão Tablet


Versão PC

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Eleições e os rumos da democracia no Brasil



O Grupo de Pesquisa Instituições Políticas e Democracia, do Departamento de Ciências Sociais (CCHLA / UFPB), convida a comunidade acadêmica e todos os interessados a participarem do Seminário “Eleições e os rumos da democracia no Brasil”. O evento será realizado entre os dias 24 e 26 de novembro de 2014, a partir das 19h00min, no Auditório 412 do CCHLA/UFPB, em João Pessoa. A proposta básica do seminário consiste em realizar um balanço do pleito deste ano, projetando as tendências e as perspectivas para o sistema político do país.
As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas, de forma antecipada, através do e-mail do evento (serdb@outlook.com), ou no primeiro dia do seminário, no próprio local. Será concedido certificado de extensão de 12 horas para os participantes que cumprirem a carga integral do evento.
O seminário conta com o apoio do CCHLA e do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos da UFPB.
Programação das mesas-redondas:
Dia 24/11: “Eleições no Brasil: participação e representação política”, que contará com as presenças de Glória Rabay (professora do Departamento de Comunicação da UFPB) e Michel Neil (cientista político da PATRI – Políticas Públicas).
 Dia 25/11: “Balanço das eleições, futuro dos partidos e reforma política”, a cargo de David Fleischer (professor emérito de Ciência Política da UnB) e Homero Costa (professor do Departamento de Ciências Sociais da UFRN).
 Dia 26/11: “Eleições 2014: perspectivas para o presidencialismo de coalizão e a governabilidade”, ministrada por André Marenco(professor do Departamento de Ciência Política da UFRGS e coordenador da área de Ciência Política e Relações Internacionais na Capes / MEC).
Fonte: Samir Perrone  e Rodrigo Freire (Coordenadores do Grupo de Pesquisa Instituições Políticas e Democracia, do Departamento de Ciências Sociais/CCHLA / UFPB)

I Seminário Cultura e Universidade

Imagem inline 3



Seminário debate experiências de políticas culturais e apresenta propostas para a UFPB

Comissão responsável por elaborar Plano de Cultura para a UFPB realiza seminário reunindo experiências regionais e nacionais


No dia 21 de novembro, a Comissão de Políticas Culturais e o Observatório de Políticas Culturais da Universidade Federal da Paraíba promoverão o I Seminário Cultura e Universidade, sob o tema "Entre políticas e sistemas: (re)pensar o lugar da Cultura na UFPB". A atividade ocorrerá a partir das 15h, nos auditórios 411 e 412 do CCHL.


À tarde, às 15h, no auditório 412, a programação terá como tema central a institucionalização do setor cultural no contexto da política cultural federal e estadual. A mesa-redonda contará com os debatedores Pedro Santos (Secult-PB), Marcos Galindo (SIC/UFPE) e Alexandre Santos (Comissão Políticas Culturais da UFPB). Neste momento, serão apresentadas as experiências do Sistema Estadual de Cultura da Paraíba e do Sistema Integrado de Cultura da UFPE, além das perspectivas para a implantação de um sistema de cultura na UFPB. 

À noite, a atividade ocorrerá a partir das 19h, no auditório 411. A abertura será realizada pelo secretário Chico César (Secult-PB), e em seguida será proferida a palestra “Cultura em Movimento: políticas públicas, gestão cultural e desenvolvimento”, com as pesquisadoras Cláudia Leitão (UECE, ex-secretária de Economia Criativa/MinC) e Luciana Guilherme (Consultora em Economia Criativa do Ministério da Cultura do Cabo Verde). Na ocasião, será lançado o livro “Cultura em movimento”, com sessão de autógrafos com as autoras.

O livro é um relato de Cláudia Leitão sobre período em que esteve à frente da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult), e de Luciana Guilherme, então assessora de comunicação. Em um texto escrito a quatro mãos, ambas descrevem as políticas de interiorização e descentralização que foram formuladas e implementadas em todo o estado, durante quatro anos e que resultaram no reconhecimento do próprio Ministério da Cultura, com a atribuição do Prêmio Cultura Viva, na categoria "Gestão Pública Cultural".

Com o objetivo de aquecer o debate sobre cultura no âmbito da instituição, agregando toda a comunidade universitária, o Seminário é a primeira realização pública da Comissão de Políticas Culturais, que nasceu em junho deste ano. Presidida pelo professor Flávio Lúcio Vieira, a comissão é formada por docentes, técnico-administrativos, discentes e a própria reitoria, e tem como missão a elaboração de um Plano de Cultura decenal, que norteará os próximos dez anos de investimentos no setor cultural da UFPB, estimulando seu desenvolvimento e novos modelos de gestão. 

Também participa da realização do evento o Observatório de Políticas Culturais, grupo multidisciplinar de estudos e pesquisas voltado ao acompanhamento e análise das políticas públicas de cultura em níveis federal, regional e estadual. O grupo envolve pesquisadores com formação em diversas áreas e é coordenador pelos professores Marco Antônio Acco (UFPB) e Romero Venâncio (UFS). 

A Comissão e Observatório são responsáveis por elaborar a proposta da UFPB para o Programa Mais Cultura nas Universidades, edital lançado em outubro deste ano pelos Ministérios da Cultura e da Educação, visando desenvolver o setor cultural nas Universidades federais e Institutos Federais de Ensino Tecnológico.


PROGRAMAÇÃO

21  DE NOVEMBRO DE 2014

15h - Sistemas de Cultura
Local: Auditório 412 (CCHL/UFPB)

Sistema Estadual de Cultura da Paraíba: trajetória e resultados
Debatedor: Pedro Santos - Secult-PB

Sistema Integrado de Cultura da UFPE: consolidando um sistema de referência
Debatedor: Marcos Galindo - SIC/UFPE

Por uma Política Cultural para a UFPB: caminhos para a institucionalização do setor
Debatedor: Alexandre Santos - Comissão de Políticas Culturais da UFPB

19h - Políticas Culturais
Local: Auditório 411 (CCHL/UFPB)

Mesa-redonda: “Cultura em Movimento: políticas públicas, gestão cultural e desenvolvimento" + Lançamento do livro "Cultura em Movimento" e sessão de autógrafos

Debatedoras: Cláudia Leitão (UECE, ex-secretaria de Economia Criativa/MinC) e Luciana Guilherme (Consultora em Economia Criativa do Ministério da Cultura do Cabo Verde)


SERVIÇO

I SEMINÁRIO CULTURA E UNIVERSIDADE
"Entre políticas e sistemas: (re)pensar o lugar da cultura na UFPB"

Data: 21 de novembro de 2014
Horário: A partir das 15h
Local: Auditórios 411 e 412 (CCHL/UFPB)
Realização: Comissão de Políticas Culturais da UFPB e Observatório de Políticas Culturais (UFPB)

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

A TV e o rádio como trampolim político

Celso Russomano


Como a imbricada relação entre mídia e política passa por programas de TV que são espaços privilegiados para alçar seus apresentadores ao patamar de representantes eleitos da sociedade brasileira


Por Iara Gomes de Moura e Janaíne Aires*

No terceiro artigo da série sobre coronelismo eletrônico, mostraremos como a imbricada relação entre meios de comunicação de massa e política não se restringe apenas à propriedade das empresas concessionárias do sistema de radiodifusão. Se a relação entre políticos e concessões públicas já é um dado conhecido no país, pouco se tem atentado ao fato de os programas televisivos serem também espaços privilegiados para a elevação de seus apresentadores ao patamar de representantes eletivos da sociedade brasileira.
Mesmo que a legislação eleitoral impeça a aparição dos candidatos em tais programas durante o período de campanha, não há uma legislação específica coibindo a presença de políticos com mandatos em vigência na apresentação de programas de TV. O poder de lobby instituído a partir do momento em que os eleitos têm uma interlocução privilegiada com os cidadãos, podendo utilizar a TV como palanque eleitoral, é, portanto, altamente questionável e também mereceria algum tipo de regulação.
Pegando exclusivamente o exemplo dos chamados programas policialescos, que se multiplicam país afora, uma rápida passagem pelos principais mostra claramente seu uso político, mesclando populismo político a conteúdos sensacionalistas que violam o direito à privacidade e dignidade humana além de violar outros direitos de crianças e adolescentes, jovens, negros e negras, mulheres e população LGBT. Em geral, tais programas trazem a figura de um apresentador carismático, que se coloca na posição do líder e, a partir de discursos insuflados, baseados em recortes da realidade, convoca as pessoas a tomarem posições sobre os problemas retratados no programa. Assim, constroem narrativas de forma com que a única opção do telespectador ou ouvinte seja concordar com a verdade ali construída. Não por acaso, âncoras e repórteres desse tipo de programa têm alçado e alcançado cada vez mais espaços dentro da política institucional no país.
No último domingo, Wagner Montes (PSD) foi reeleito para o terceiro mandato como deputado estadual do Rio de Janeiro, sendo o segundo mais bem votado, com 208.814, para a Assembleia Legislativa. No pleito anterior, em 2010, ele ficou em primeiro lugar, com 528.628 votos. Há mais de 30 anos, Montes trabalha em programas televisivos deste gênero, tendo apresentado oAqui e Agora (TV Tupi) e O povo na TV (SBT). Atualmente, enquanto exerce o cargo eletivo no Legislativo fluminense, apresenta um dos programas policialescos mais populares da TV brasileira, o Balanço Geral, no ar pela Rede Record desde 2005. O deputado é famoso por seu estilo eloquente e por cobrar no ar maior firmeza por parte da força policial contra os “marginais”. Seu bordão, gritado, é “escraaacha”.
Ao seu lado, a jornalista Cidinha Campos, que tem mais de 50 anos de atuação em programas de rádio e televisão, obteve no domingo mais de 75 mil votos pelo PDT, seguindo para seu terceiro mandato consecutivo como deputada estadual. Após as eleições de 2010, até 2012, a parlamentar apresentou, na TV Bandeirantes do Rio de Janeiro, o programa Cidinha Livre.
Em São Paulo, Russomanno foi o candidato a deputado federal com maior número de votos alcançado em todo o país: 1.524.361, 7,26% dos votos válidos do eleitorado paulista. O apresentador (PRB), já em 1994, elegeu-se o deputado federal mais votado graças à popularidade alcançada como repórter de defesa do consumidor. Suas reportagens mostravam as queixas de cidadãos mal atendidos, colocados frente a frente com fornecedores de serviços e produtos. A conversa muitas vezes descambava para brigas físicas. Russomanno fazia papel de advogado em busca de um acordo. Quando conseguia, encerrava sua aparição com a frase que ficou conhecida na TV: “estando bom para ambas as partes, Celso Russomanno, Aqui e Agora”.
Até o início da campanha eleitoral deste ano, ele seguia como apresentador da TV Record. As urnas confirmaram, no domingo, o impacto do uso das emissoras de rádio e TV nos processos eleitorais.
A relação comprova-se em todos os estados brasileiros e também revela-se a nível municipal. Em Fortaleza (CE), no ano de 2012, o segundo vereador mais votado, com 29.952 mil votos, foi Vitor Valim (PMDB) apresentador do Cidade 190, da TV Cidade, afiliada da Rede Record. No último domingo, ele foi eleito para uma vaga na Câmara dos Deputados em Brasília, tendo recebido a soma vultosa de 92.499 votos no estado. Os radialistas Ely Aguiar (PSDC) e Ferreira Aragão (PDT), também apresentadores de programas policiais, foram reeleitos para a Assembleia Legislativa do Estado. Ely obteve 41.632 votos, enquanto Aragão conseguiu 27.607 votos.
Cabe destacar ainda outro aspecto da relação entre apresentadores de programas e política eleitoral, que vem se mostrando bastante comum: a transferência de capital midiático entre parentes com objetivos eleitorais. Os casos de maior destaque são os de Wagner Montes e Wagner Montes, o filho, no Rio de Janeiro; Wallace Souza e seus irmãos Fausto e Carlos Souza, no Amazonas; Samuka Duarte e Samuka Filho, na Paraíba; e Ratinho e Ratinho Jr., no Estado do Paraná. Depois de se candidatar à Prefeitura de Curitiba em 2012, Ratinho Jr. (PSC) se elegeu neste domingo o deputado estadual mais bem votado no Paraná, com mais de 300 mil votos - 5,23% dos válidos.
Crimes e eleições: o caso amazonense
No Amazonas, o programa policialesco Comunidade Alerta, da afiliada da Rede Bandeirantes de televisão, é apresentado por Ronaldo Tabosa e Jander Tabosa, o “Tabosinha”. Juntos, pai e filho protagonizaram recentemente um caso emblemático de violação da legislação eleitoral.
Em 2008, Tabosinha disputou um cargo de vereador, mas apesar de ter sido eleito, não exerceu o mandato até o fim. Ele foi cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amazonas por ter se passado pelo pai nas vinhetas utilizadas na campanha eleitoral daquele ano. Com isso, parte dos eleitores votou no candidato Tabosinha imaginando estarem votando no pai, Ronaldo Tabosa.
Em 2010, foi a vez de Ronaldo Tabosa se candidatar ao cargo de deputado estadual. Ele não foi eleito, mas acabou assumindo, posteriormente, a suplência de outro parlamentar do mesmo partido (PP). Tabosa também foi processado pelo TRE (Carvalho, 2011), por compra de votos e uso indevido do programa de TV para fins eleitorais. Segundo o TRE, Ronaldo Tabosa explorava e expunha o estado miserável de famílias e realizava entrega de cestas básicas no programa.
O apresentador conseguiu, no entanto, candidatar-se novamente, para o cargo de vereador, elegendo-se em 2012. Seu mandato finalmente cassado no início de 2013, tornando-se pai e filho inelegíveis por um período de três anos.
Também no Amazonas, a família Castelo Branco se utiliza de programas de TV para construir carreiras políticas. À frente de A voz da esperança, da TV Em Tempo, afiliada do SBT, estão Sabino e Reizo, pai e filho, ambos políticos do PTB. Sabino começou sua carreira no programa Bronca na TV, na mesma emissora. Em 2006, candidatou-se a deputado federal, sendo o segundo deputado mais votado daquele ano no Amazonas, com 126 mil votos. Antes disso, já havia sido vereador de Manaus por três mandatos. Atualmente é presidente do PTB local. Já o filho Reizo, além de apresentador, é vereador da cidade, reeleito em 2012 para o segundo mandato consecutivo. Vera Lucia Castelo Branco, esposa de Sabino e mãe de Reizo, atualmente exerce o mandado de deputada estadual também pelo PTB. Ela e o filho tentaram uma vaga na Assembleia Legislativa do Amazonas, mas não se elegeram no último domingo. O pai, Sabino, desta vez também ficou de fora da Câmara Federal.
O Ministério Público Federal do Amazonas acusou Sabino e Reizo de praticaram ilegalidades eleitorais através de doações de inúmeros bens à população, por intermédio do programa televisivo que comandam. Porém, embora tenham sofrido processos do TRE local, ambos mantém seus espaços na TV e na política.
Por fim, do Estado do Amazonas vem também o exemplo de um dos casos mais emblemáticos associando meios de comunicação de massa, violação de direitos e crime organizado: o “Caso Wallace”. Policial civil durante a década de 1980, Francisco Wallace Cavalcante de Souza foi expulso da corporação por prática de corrupção. Apesar disso, foi eleito vereador de Manaus pelo PP em 1996, sendo reeleito em 2000.
Nesta época, Wallace Souza já era apresentador bastante conhecido do programa Canal Livre, exibido na antiga TV Rio Negro, hoje TV Bandeirantes Amazonas. Até 2008, a emissora pertencia ao ex-deputado federal Francisco Garcia. Durante a década de 1990, a atração televisiva também foi exibida na TV A crítica, com o título de Espaço Aberto; e na TV Manaus (atualmente TV Em Tempo), afiliada do SBT, também como Canal Livre. Ao lado dos irmãos Carlos Souza e Fausto Souza, Wallace comandava o programa apresentando casos policiais, mostrando assassinatos, sequestros e operações de combate ao tráfico de drogas.
Em 2004, Wallace Souza foi reeleito vereador, um dos mais votados da história de Manaus, mas abandonou o mandato para concorrer ao legislativo estadual. O exercício diário da comunicação na televisão foi quesito chave para lhe garantir reeleições consecutivas e, em 2006, o cargo de deputado estadual mais votado do estado, com 48.965 votos.
Em 2008, foi acusado de chefiar um grupo de extermínio. Segundo a Polícia Militar do estado, Wallace orientaria o grupo a matar pessoas com histórico de crimes para, em seguida, exibir os casos em seu próprio programa de TV. O deputado foi indiciado por formação de quadrilha e tráfico de drogas e teve seu mandato cassado. Seus irmãos e seu filho também foram acusados de envolvimento no esquema, ao lado de membros da produção do programa. Em 2009, Wallace teve prisão decretada
Todos esses fatos, no entanto, não foram suficientes para que a família deixasse a política e a televisão. Carlos Souza e Fausto Souza, irmãos de Wallace, foram, além de apresentadores, vice-prefeito e vereador da cidade de Manaus, respectivamente. Hoje, Carlos está concluindo seu terceiro mandato como deputado federal (eleito pelo PP, agora no PSD) e Fausto Souza atualmente é deputado estadual (PSD), não reeleito no último domingo.
Em abril de 2013, o programa dos irmãos Souza foi retomado com algumas modificações, mas seguindo a mesma linha sensacionalista. Ele passou a ser chamado de Programa Livre, e está sendo exibido pela emissora TV Em Tempo.
A ausência de uma regulação efetiva de tais programas têm possibilitado, portanto, a reprodução de um sistema pernicioso, que resulta na exploração de concessões públicas de radiodifusão e no uso da programação do rádio e da TV para fins estritamente privados. Embora os tribunais eleitorais sejam rígidos em sua fiscalização durante os períodos de campanha, a “propaganda eleitoral” nos programas policialescos acontece cotidianamente, ao longo de anos e longe dos olhos dos TREs.
Tais programas constituem-se, assim, em trampolins para candidaturas e espaços privilegiados de ascensão política. Ao fazerem uso de uma linguagem sensacionalista e, por vezes, praticarem o assistencialismo via TV, os apresentadores destes programas acabam por criar uma imagem de “salvadores”, justiceiros ou “protetores” da população favorecendo-se significativamente nas disputas eleitorais de que participam.
* Iara Gomes de Moura é jornalista e mestranda do Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. Janaíne Aires é doutoranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; integra o Grupo de Pesquisa em Economia e Políticas da Informação e da Comunicação (PEIC).

sábado, 27 de setembro de 2014

Mídia Paraibana em Debate: Comunicação, cultura e política disponível para download


Está disponível para download o livro "Mídia Paraibana em Debate: Comunicação, Cultura e Política", que reúne artigos de pesquisadores da comunicação sobre aspectos da mídia produzida no estado. 

Organizado por Dérika Virgulino e Janaine Aires, a obra é o primeiro livro da Editora Xeroca!, projeto do Coletivo COMjunto de Comunicadores Sociais, que tem como objetivo produzir e fazer circular livros a baixo custo, em parceria com o Observatório da Mídia Paraibana.  

"Mídia Paraibana em Debate" também conta com uma versão impressa, disponível em bibliotecas públicas da Paraíba, e que também pode ser adquirida em livrarias de João Pessoa e pela internet sendo enviada para todo o Brasil. Saiba onde encontrar: 

Livraria do CCHLA, Praça da Alegria na Universidade Federal da Paraíba; 

Sebo Cultural, Av. Tabajaras, 484. Centro - João Pessoa. Vendas na Estante Virtual;Livraria do Luis, Galeria Augusto dos Anjos. Centro - João Pessoa.

Confira a resenha crítica, de Carlos Edmário Nunes, relações públicas e mestrando em Comunicação e Culturas Midiáticas pela UFPB, clicando aqui

Faça o download e boa leitura! 

Versão PC







Versão Tablet









segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Simpósio Nacional Jornalismo, Participação e Cidadania




O Grupo de Pesquisa em Jornalismo, Mídia, Acessibilidade e Cidadania e a Revista Latino-americana de Jornalismo (ÂNCORA) do Programa de Pós-graduação em Jornalismo da UFPB estarão promovendo o Simpósio Nacional sobre JORNALISMO, PARTICIPAÇÃO e CIDADANIA nos dias 27 e 28 de outubro de 2014. 
A iniciativa recebe o apoio do Centro de Comunicação, Turismo e Artes da UFPB. A conferência de abertura será proferida pelo professor Denis Porto Renó da Unesp.A chamada com informações de participantes ouvintes e inscrições de Comunicações com artigos será publicada na próxima quinta-feira, dia 14.08.14.